Desperte a autodidata que vive em você #AprendoEmCasa

Beatriz Bustamante
Posted by Beatriz Bustamante on Mar 27, 2020 7:44:00 PM

Quantas vezes nos pegamos pensando: "que vontade de começar um novo esporte, mas na verdade nunca fui boa nos esportes", "como eu gostaria de aprender inglês, mas a verdade é que as línguas nunca foram o meu forte", ou mesmo "que vontade de empreender, mas como vou fazê-lo com minha pouca criatividade e engenhosidade"...

E assim passamos o tempo, muitas vezes pensando na limitação de nossas habilidades; repetindo essa situação, toda vez que enfrentamos a possibilidade de começar algo novo, de correr riscos e experimentar em território desconhecido.

Você se lembra de já ter estado em uma situação semelhante? O que você pensaria se eu lhe dissesse que talvez você não esteja tão longe quanto pensa de realmente aprender algo completamente novo? Bem, eu estou lhe dizendo, você não está tão longe, só precisa começar a despertar a autodidata que existe dentro de você! E, para isso, quero te dar cinco dicas simples que vão impulsionar a sua motivação e habilidade inata que todos nós temos para aprender. Vamos começar! 

1. Tudo pode ser aprendido

A primeira dica, e uma das mais importantes, é começar destruindo a ideia de que nossa inteligência e habilidades são fixas, ou seja, que todos nascemos mais ou menos inteligentes, com habilidades em uma área específica, e não podemos fazer nada sobre isso. Carol Dweck, psicóloga americana da Universidade de Yale, nos mostra que a inteligência e nossas habilidades não têm limites; a inteligência é entendida como um músculo que, como qualquer outro, pode ser treinado e cultivado com prática, esforço, dedicação e com a ajuda de outras pessoas.  Dito isso, tudo pode ser aprendido! Isso não quer dizer que todas as pessoas são iguais, mas mesmo que tenhamos habilidades, talentos, interesses e personalidades diferentes, todos temos a capacidade de transformar, desenvolver e começar algo novo. Por mais improvável que seja, é importante começar propondo isso a nós mesmos.

O interessante da proposta dessa psicóloga é que as nossas chances de aprender ou enfrentar um novo desafio não dependem de uma capacidade inata com a qual nascemos, mas dependerão diretamente do nosso esforço, motivação e perseverança. 

2. Dê um novo significado ao conceito de fracasso. Ninguém nasce especialista! 

É muito importante nos livrarmos dos preconceitos sobre o famoso e temido fracasso. Não podemos intimidar nosso lado curioso para aprender, já que o caminho da aprendizagem nunca será isento de erros e é bom que seja assim.

Errar será fundamental em todos os processos de aprendizagem, pois é a melhor maneira de aprender. Cometer o maior número possível de erros significa que podemos obter o maior número de aprendizados possível. Quem diria! Para isso, será essencial aceitar o presente do seu processo de aprendizagem com humildade e ser honesta consigo mesma; remover o valor negativo de não saber e abrir-se ao risco de começar a saber. E como dizemos na Laboratória, se você está com medo, faça com medo! 

3. Comece a praticar o que deseja aprender 

O que nos resta agora é colocar a mão na massa! Um grande ponto para ativar nosso lado autodidata é trazer à ação o que você tanto deseja fazer. Um bom exemplo é o das alunas do bootcamp da Laboratória , que ousam todos os dias enfrentar um mundo majoritariamente masculino e decidiram aprender a programar.

Você também pode começar a aprender algo novo. Para isso, o fundamental será pesquisar e não desistir. Ao mesmo tempo e quase sem perceber, você estará praticando e é muito importante continuar a fazê-lo! Não importa se estiver tentando aprender algo grande ou pequeno, pois todos nós temos que começar por algum lugar. E nunca se esqueça de que o Google sempre estará lá para nos ajudar em todos os nossos planos, por mais loucos que eles sejam 😅.

4. Seja responsável pelo seu aprendizado. É hora de assumir o controle!  

Aprender é eterno e aprender como cada uma de nós aprende também. Tudo isso está diretamente ligado a um processo de introspecção e análise sobre si mesma. O autoconhecimento levará você a refletir sobre suas habilidades e desafios pessoais. Identifique o que é bom para o seu aprendizado e os métodos que lhe convêm. Nesse processo, você vai aprender sobre si mesma e será capaz de entender o que é bom para o seu aprendizado e o que não é. O objetivo é repetir e ir melhorando ao longo do caminho.

5. Seja sua fã número 1

É essencial valorizar suas conquistas, cada passo do caminho, mais do que o resultado final. Seja empática consigo mesma, continue tentando e tenha sempre em mente que quanto mais acreditar em sua capacidade de mudança e crescimento e no valor de suas falhas, mais aumentará suas habilidades e seu desejo de aprender. 

Pronto! Confie que você tem tudo o que é preciso para aprender algo novo. Se ao ler este artigo, outras dicas vieram à sua cabeça, comente aqui embaixo. Dessa forma, outras mulheres como você e eu também serão capazes de despertar a autodidata que vive dentro de cada uma de nós.

 

inscreva-se

Topics: Artigo, Habilidades do futuro, Cultura de aprendizagem, Inscreva-se

Participe da nossa comunidade!


Hub_ad_talento_transformacao

Laboratoria_los 5 motorores del cambio_portugues